Toni Erdmann

Toni Erdmann ★★★★★

Toni Erdmann/Winfried (Peter Simonischek) é um dos melhores personagens da década, né? O filme alemão que "perdeu" o Oscar de filme estrangeiro para o iraniano O Apartamento, de Asghar Farhadi, por questões políticas é de uma força única que se revela uma tour-de-force não sobre Toni ou Winfried, mas sobre sua filha Ines (Sandra Hüller), uma importante consultora prestes a fechar um grande negócio e que nem sabe que precisa se redescobrir e voltar a viver, a ser feliz, a se despir e eliminar os maus espíritos do seu lado, enquanto o imprevisível Toni - personagem criado por Winfried - representa pelo menos uma mínima parcela de consciência de qualquer pessoa que reside em qualquer país capitalista onde o sangue negro corre pelas veias de seus empresários desumanos e está também presente nas assinaturas de contratos de suas multinacionais.

Numa abordagem excêntrica e ao mesmo tempo singela, a diretora Maren Ade nos envolve na relação, a princípio distante, entre este pai professor e sua filha e que vai se estabelecendo e os aproximando através das mais absurdas situações. E a graça do filme está justamente no fato de que nada sai como planejado por Ines, afinal, se a vida fosse programada, qual seria sua graça, seu sentido? É como o pai fala para a filha ao final, por que tudo precisa ser planejado? Andar de bicicleta é um aprendizado, caímos muitas vezes para aprender a encontrar o equilíbrio, não planejamos a forma de pedalar. Boa parte do que programamos vai, na verdade, nos privando de viver a vida e de guardar seus momentos mais valiosos.

Angelo liked these reviews

All