Stalker

Stalker ★★★★★

Eu amo como esse filme nos faz duvidar dos nossos próprios olhos enquanto observa a natureza agir. Stalker transforma a natureza em um grande estranho: algo familiar e ao mesmo tempo indescritível de tão único.

Observando esses homens tentando se manter os mesmos enquanto o mundo se transforma, Stalker é uma tragédia humana: buscando encontrar algo dentro da Zona — uma área onde um evento misterioso fez pessoas desaparecerem e a natureza agir de uma maneira estranha — sem perceber que eles evitam ao máximo receber seja lá o que ela consegue oferecer. É um lindo filme, maravilhoso em todos os sentidos, que cria uma estranheza na natureza apenas por observá-la: o vento cria forma, a água ruge, o sopro do ar parece dizer algo.

Stalker consegue ressaltar essa estranheza em si mesmo. Tarkovsky cria imagens que se transformam bem em frente dos nossos olhos: um plano aberto se transforma em um close sem que a câmera se mova; ou um close de um copo se transforma em um plano sequência de um vagão de trem. É um filme que nos faz duvidar da beleza e da destruição que acontece ao redor desses homens, e que lutam para ver aquilo como meros acontecimentos onde o que é mais importante está dentro deles. Stalker não precisa dizer o quão cegos esses homens estão, porque ele faz isso conosco — suas imagens belíssimas ficam em nossas mentes muito como aqueles que entram na Zona levam ela consigo. Talvez Stalker seja o resquício que temos de um lugar tão misterioso assim.

Arthur liked these reviews