Nomad

Nomad ★★★★

Quantos filmes cabem em um só filme? Não é que Patrick Tam seja atrevido. Mais parece mais que, para ele, não existem limites entre gêneros, tons e temas. "Nômade" traz a maravilha do cinema -- e suas possibilidades -- condensada numa obra só, numa obra única. Um longa que começa como uma comédia popular, que trata o sexo com a naturalidade de uma pornochanchada, mas que se transforma num coming of age reflexivo sobre descobrir seu lugar no mundo, crescer, encontrar suas motivações, seu par. Por isso, é fascinante observar os elementos que ele insere na última meia hora de filme e que culminam com a impressionante e absolutamente chocante sequência final do longa. É como se Tam gargalhasse do convencional, do que é considerado sério e importante, como se carimbasse o devaneio, a ficção, a mentira como elementos essenciais à vida e ao cinema.