Cruella

Cruella ★★★½

Curioso que justamente o que eu mais temia no filme acaba sendo o que melhor engloba a ideia do filme. Boa parte da divulgação e dos comentários críticos antes do lançamento davam uma ênfase para seu virtuosismo estético que acabava soando como muleta meramente visual. Mas como o filme engloba esse idealismo ultra extravagante como fundamento universal, acaba que funciona muito bem.

Curto muita coisa aqui, principalmente por quê de um determinado instante do filme, o Gillespie chega um momento que se entrega de vez ao exagero, da caricatura das interpretações até figurinos, cenários e maquiagem. Boa parte do exercício estético funciona justamente por inserir o mundo da moda como fundamento daquele universo. Talvez eu tenha uns probleminha justamente quando não assume isso 100%.

O primeiro ato basicamente é uma fórmula bem convencional de origem, essa primeira imagem da ainda Estella soa apenas como uma idealização forçada de boa parte desses live-actions de vilões, mas justamente partindo da caricatura da Cruella o filme encontra um tom bem sólido, as aparições públicas e a entrega carregada da Emma Stone são bem satisfatórias. Se entrega tanto ao cartunesco que congela boa parte do humor do filme, e até um pouco do drama acaba caindo na pieguice - Boa parte desse comentário da "Família".

Acho que se fosse um filme até mais livre ia sair um verdadeiro filmaço, o que não funciona é justamente essa implicações de modelo estabelecido pela Disney, a simpatização barata à Malévola. Mas enxergo um tratamento muito mais sólido, gosto de como muita coisa não tem medo do irreal e assume uma postura estilisticamente bem espirituosa.

Carlos liked these reviews