Favorite films

Don’t forget to select your favorite films!

Recent activity

All
  • The Devils

    ★½

  • Titane

    ★★★½

  • The Rocky Horror Picture Show

    ★★★

  • Nosferatu the Vampyre

    ★½

Recent reviews

More
  • The Devils

    The Devils

    ★½

    É sedutor enxergar este filme como um nunsploitation, pois o núcleo da instável Jeanne des Anges (com o convento das freiras ursulinas em que ela é abadessa) é do mais cristalino manifesto do celibato como força (pela coerção da clausura) de repressão sexual feminino, todavia, a lente de Ken Russell está calibrada para o olho do julgamento, porque diferente de School of the Holy Beast (que virá três anos depois) onde a perversão é um ato anárquico de rebeldia contra…

  • Nosferatu the Vampyre

    Nosferatu the Vampyre

    ★½

    O sangue, o mar, a mulher. Dos incontestáveis 'duplos' que a adaptação de 1922 para cinema(mudo), da novela de Bram Stolker, acosta: da ciência ao misticismo, do romantismo ao expressionismo alemão, da esposa-angelical (que aguarda, angustiadamente seu amado) ao vampiro-bestial (que parte na ânsia, de dominar aquela cobiçada, em terras distantes); Murnau nunca permite desassociar-se de seu fardo como mediador, porque mais que uma pedra-angular, o mesmo é a balança de libra que equilibra o efêmero(cênico) ao eterno (destruidor de…

Popular reviews

More
  • Little Odessa

    Little Odessa

    ★★★★½

    O primeiro plano, abriga nele, o peso de um nascimento, através da entrada daquela iluminação é como se o filme estivesse vendo a luz pela primeira vez, ele tem a carga de uma experiência cosmogônica, então deste: o primeiro filme longa-metragem de James Gray; vemos algo nascer nessa imagem, o que nasce é... um olhar. Um filme de olhares, em diversos âmbitos, do irmão caçula que observa de maneira virgem através da figura fria e indecifrável de Joshua, uma presença…

  • Shuen

    Shuen

    ★★★

    Erguer mundos inteiros - que, aliás, como espectador, temos tão pouco acesso - através de artifícios, dos mais práticos e sedutores: da cenografia e locações, críveis, como de uma maquete (pela vegetação tão alastrada, ou nos edifícios e construções devastadas), no embalsamar da maquiagem (aos rostos encardidos de uns, e da pele leprosa de outros), da paleta esverdeada e amarelada que emana enfermidade e marasmo no ar, do deambular da câmera (muitas vezes, até sem tanto eixo) que registra os…